Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Pontos de leitura’

book-on-beach1

O que você acharia de encontrar um caixote cheio de livros no hotel ou pousada em que estiver hospedado? Um canto de leitura onde você pode deixar o livro que terminou de ler durante a viagem e se servir de outro que poderá deixar em seu próximo destino? Ou, ainda, foi desprevenido para uma pousada charmosa em uma praia e… chove muito. Nenhuma livraria por perto, mas o hotel pensou em agradar seus hóspedes e tem uma pequena estante cheia de livros livres.

images

Você, hóspede, com certeza ficaria muito feliz!

E você, dono de hotel, pousada, resort ou camping? O que acha de ter mais esse serviço para oferecer a seus clientes? A Freguesia do Livro já levou livros a diversas pousadas e hoteis.

Knock Knock Hostel,  perto do centro, em Curitiba, tocado por três jovens cheios de criatividade. Combinação perfeita.

Backpackers Hostel. Também em Curitiba.

DSC01332

 Uma caixa cheia de livros no Curitiba Hostel.  Em um imóvel tombado, no centro histórico de Curitiba.

DSC02012

Pousada Ribeirão das Pedras, em Bocaiúva do do Sul. Hóspedes com literatura!

Hotel Del Rey – Foz do Iguaçu/PR

1385680_10151795039929051_167558991_n

Grajagan Surf Resort – Ilha do Mel/PR

Quiosque 3

Levamos livros para a Pousada Varshana – Balsa Nova/PR e recebemos esse depoimento:

Nossa pousada tem como objetivo proporcionar descanso e tranquilidade a nossos clientes.
Nossa temática indiana conquista cada dia mais as pessoas que querem ficar em silêncio e se desconectar.
Com este conceito criamos uma pequena biblioteca, usando nossos próprios livros e doações de amigos (como a Freguesia do Livro) para incentivar a leitura, afinal, não temos TV nos quartos.
Em breve teremos um novo espaço na pousada que vai se chamar Louge Varshana. Lá teremos uma sala de leitura, jogos educativos e videoteca com filmes selecionados.
Para os doadores de livros (não importa a quantidade) vamos conceder um desconto de 5% em qualquer um de nossos pacotes publicados em nosso site www.varshana.com.br. Basta trazer sua doação e o desconto será concedido no check out, legal?
Abraços e obrigado pelo apoio!
Lincoln Moro e Arlete Santos

IMG_0178

Se o seu estabelecimento for em Curitiba, região metropolitana ou litoral do Paraná, entre em contato conosco (fregues@freguesiadolivro.com.br)  que faremos chegar livros até vocês. Se estiver em outras regiões do Estado ou do país, arrecade livros, organize um pequeno acervo e seja mais um nessa cadeia de incentivo à leitura.

Read Full Post »

Captura de Tela 2013-05-25 às 09.16.32

Você pode escolher, entre as alternativas abaixo, o modo como participar desse movimento literário que tira livros parados de prateleiras e os faz circular:

a) vou doar livros que já li e não vou ler mais. Para a Freguesia do Livro ou outro lugar que possa se beneficiar com eles.

b) vou ser um Ponto de Coleta: receber livros doados e repassar para a Freguesia do Livro ou outra iniciativa de leitura perto daqui.

c) vou espalhar essa ideia.

d) vou criar uma biblioteca comunitária.

e) acho que livros não devem ser doados (sé-rio??!!)

Participe de algum jeito, contamos com você. Muitos conceitos estão envolvidos no simples ato de doar um livro: consumo consciente, acesso à cultura, educação e responsabilidade social. Tudo isso.

O tempo passa rápido. Livros parados em sua casa estão deixando de ser lidos por outras pessoas. Pense nisso.

Quer entender melhor o que a Freguesia do Livro faz? Veja aqui.

Deu vontade de participar doando livros? Veja como aqui.

Quer começar um ponto de leitura? Cadastre-se aqui.

Quer ver para onde os livros vão? Entre aqui.

Você também pode gostar de….

Acervos

Ter tanto

 

Read Full Post »

Continuando nossa apresentação de movimentos da Freguesia… Você pode ver os posts recentes aqui e aqui.
Ciranda de Pais é um programa que percebeu que práticas educativas com os pais são essenciais para a melhoria na aprendizagem das crianças. Estão desenvolvendo atividades de estímulo à leitura em Pinhais, região metropolitana de Curitiba, e a Freguesia contribuiu com livros para crianças e adultos. Saiba mais aqui. Do post que apresenta a Mala dos Sonhos, tirei esse trecho que combina muito bem com a Freguesia:

Os livros dessa corrente literária foram emprestados livremente, sem cadastro, sem data para devolução! As únicas regras são: não deixá-los escondidos no fundo de uma gaveta e fazê-los viajar e, assim, espalhar pó de pirlimpimpim pelos 4 cantos do mundo! Quem gostou, leva, lê e devolve! Quem levou, leu, gostou muito e vai ler outras vezes, passeia com o livro pelo tempo que precisar! Quem levou, leu, gostou muito e deseja que ele se hospede por um longo tempo em sua casa, fica com o livro de presente e traz outro para viajar na Mala!

Captura de Tela 2013-05-17 às 19.23.06

Nossa sucursal em Foz do Iguaçu está se ampliando. Livros no Hotel del Rey, em uma escola de natação, para pacientes que estão fazendo hemodiálise e, em breve, em uma pizzaria da cidade. Muito bacana. Mandamos alguns livros aqui de Curitiba através de amigas como a Giorgia e a Luciana que fizeram uma carona literária. E o pessoal de Foz já está arrecadando por conta própria também.

Captura de Tela 2013-05-21 às 14.57.19

Entre nossos colegas no curso de capacitação do Projeto Legado, está o Instituto Tibagi, um centro de qualificação profissional e inclusão social de jovens aprendizes. Lá encontramos o lugar perfeito para os livros didáticos que tínhamos. Jovens aprendendo, combinou muito bem.

Captura de Tela 2013-05-21 às 14.48.17

Uma bela história: uma cartinha rodou pelo Facebook, escrita por alunos de uma escola em Vidal Ramos, interior de SC. Eles pediam livros infantis porque gostavam de ler e a biblioteca deles tinha poucos livros. Pedimos ajuda pela página da Freguesia e em dois dias tínhamos uma curitibana, a Jacqueline, que ia para Vidal Ramos e queria fazer uma carona literária. Lindo.

Captura de Tela 2013-05-02 às 20.00.11
Por conta da cartinha, as crianças têm recebido livros de todos os cantos. E a alegria que vemos é essa:
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Na Cantina Sabor & Arte, que fica em uma escola de dança aqui em Curitiba, uma caixa da Freguesia chegou com livros para os clientes e alunos.
DSC01999

O número de hoteis que oferecem livros da Freguesia a seus hóspedes está aumentando: já tínhamos levado no Knoc Knoc, no Backpackers e na Pousada Ribeirão das Pedras, esse em Bocaiúva do Sul. Agora chegamos com uma caixa cheia de livros no Curitiba Hostel. O lugar é tão bacana que valeu um tour. Em um imóvel tombado, no centro histórico de Curitiba, um trabalho de decoração que respeitou a história do prédio mas também trouxe um ar de modernidade ao hostel, foi um prazer conhecer. Como leitora e espalhadora de livros, o ponto alto para mim foram os quartos com triliches que aproveitam o pé direito alto da construção e onde, maravilha, cada leito tem a sua luzinha de cabeceira.

DSC02012

DSC02015

DSC02021

Tea Time, uma escola que ensina inglês para pessoas acima de 50 anos: levamos alguns livros desse idioma e ali temos agora um ponto de coleta. O mesmo foi feito no La Rauxa, um café  onde a literatura já circula, mas que agora pode receber livros para a Freguesia. E no Atelier Artemista também. Entre em Como doar” e veja todos os nosso pontos de coleta, vai ver que tem um perto de você e ficar cheio de vontade de levar livros para a Freguesia.

PicMonkey Collagae

Untitled

Você pode ver um apanhado de todos os lugares onde já chegamos com livros nesse post: Pontos de leitura da Freguesia do Livro

Read Full Post »

Captura de Tela 2013-04-30 às 23.24.54

* esse é o depoimento de Thea Tavares, postado no Facebook. Gostamos e pedimos a ela para colocar aqui no blog. Ficamos muito felizes.

“Já era uma delícia frequentar a Frutaria São Francisco (R. Eça de Queiroz, esquina com rua Guaratuba), no bairro Ahú – Curitiba, para comprar frutas e verduras fresquinhas, frutas secas, cereais, mel e grãos, entre outros alimentos. Mas há pouco mais de dois meses, o comércio do Nenê e da Fátima virou parada obrigatória para quem tem fome de conhecimento e se dedica a devorar poesia, literatura, história e até contos de fadas. É que esse é exatamente o mesmo tempo em que a frutaria aderiu ao movimento curitibano lítero-libertário Freguesia do Livro.

A ideia é espalhar o hábito da leitura, além de incentivar a criação de pequenas bibliotecas e, dessa forma, disponibilizar livros ao alcance de todos. Assim como o artista tem de ir onde o povo está, os livros também são expostos à freguesia do Nenê na Frutaria São Francisco. É possível emprestar publicações, devolvê-las ou retribuir os volumes com livros em bom estado que se tem em casa. Uma verdadeira feira do escambo literário.

Achei um “Distraídos Venceremos”, de Paulo Leminski, “Papillon – O homem que fugiu do inferno”, de Henri Charrière, e dois clássicos do romantismo brasileiro, que viraram filmes e novelas de época na Televisão: “A Moreninha”, de Joaquim Manuel de Macedo, e “A Escrava Isaura”, de Bernardo Guimarães. Estes dois últimos me remetem ao antigo 2º grau e às fichas de leitura de preparação para o vestibular lá no final da década de 80.

Já estou separando os títulos que doarei para a biblioteca da frutaria São Francisco, até me saciar com as obras que trouxe de lá hoje. Quem vai adorar saber disso é a querida Elisabeth Lemes, da Galeriatrombini Trombini. Sobretudo porque os livros do Nenê estão dispostos em caixas plásticas de frutas e verduras e foi bem assim que começou o acervo da Galeria Trombini, que soma hoje 30 mil títulos e uma comunidade de 1.750 leitores assíduos na litorânea Morretes.

Ah, vale lembrar que, com esse endereço – R. Eça de Queiroz –, a frutaria do Nenê e da Fátima era mesmo predestinada a iniciativas literárias como a da Freguesia do Livro.

Parabéns a todos os envolvidos”!
Fotos: Thea Tavares.

Read Full Post »

Captura de Tela 2013-04-14 às 10.16.41

Antes de começar a Freguesia do Livro, fomos tomar um café com o Alessandro Martins. Ele é o autor do blog Livros e Afins onde faz circular tudo o que tem a ver com esse tema. Ou seja, referência importante no cenário literário.

Ele apoiou a ideia, pois já fazia algo parecido e pioneiro na Bibliopote, aqui em Curitiba. As ideias de Alessandro são inspiradoras, a começar por esse elenco de motivos para doar livros que trouxemos diretamente do blog dele. Você pode ver o post na íntegra, conhecer e acompanhar o blog do Alessandro entrando aqui: livroseafins.com

9 motivos para dar seus livros

Por Alessandro Martins/ Livros e Afins

Livros trazem dentro de si as vozes de homens e mulheres que muitas vezes atravessaram as décadas, os séculos, para chegar até nós. É a voz forte dessas pessoas, falando diretamente aos nossos ouvidos numa relação tão íntima, que ouvimos quando lemos tais páginas. Quando fechamos um  e o mantemos na estante para o resto de nossas vidas, calamos essas vozes que mereciam ser ouvidas por mais pessoas.

É no que acredito.

Poucos são os livros que realmente precisamos manter em nossa posse.

  • Um livro antigo ou raro
  • Um livro com uma dedicatória especial, autografado ou que pertenceu a alguém que, para nós, é importante
  • Livros de consulta ou de referência, como dicionários ou literatura técnica usada com frequência para o exercício de um trabalho
  • Alguma outra situação de que não lembro no momento, mas acho que você entendeu

Livro não é enfeite

Livros não são enfeites ou troféus. Foram feitos para serem lidos. Não para serem exibidos como quem diz: “Veja! Veja! Quantos livros li! Veja como sou culto e inteligente”.

Aqueles livros de que mais gostamos são justamente os livros que devemos passar adiante. Afinal, se gostamos, por que não deixar outras pessoas gostarem deles também?

E, se elas não gostarem, poderão mais uma vez passar adiante o livro, num ciclo infinito até que ele chegue às mãos, aos olhos e aos ouvidos atentos de uma pessoa como você: a pessoa para quem o autor escreveu aquilo, como quem escreve uma carta destinada a atravessar o rio do tempo e do espaço.

Presentear, quando feito de coração, faz mais bem a quem presenteia do que a quem recebe. Na verdade, faz bem às duas partes.

Assim, considero que há diversos motivos para se presentear ou doar livros que estão em suas estantes, dos mais nobres aos mais práticos:

  1. Espaço: se você gosta de ler, novos livros devem chegar a todo instante a sua estante (rima involuntária). Por que não abrir caminho para os livros novos?
  2. Limpeza: livros (quando parados) juntam pó. Tenha mais tempo para ler e gaste menos tempo limpando estantes
  3. Simplificar: você já pensou em ter menos coisas e ter uma vida mais simples?  Assista esta palestra e leia este post que, cada um a seu modo, falam sobre simplificar a vida. A sensação de simplicidade e organização
  4. Parar de se importar com empréstimos que não voltam: todo o mundo que empresta livros e fica sofrendo por que eles não voltam deveria ler a Regra de Ouro Para o Empréstimo de Livros
  5. Colaborar com a leitura: frequentemente aqueles que mais reclamam de que o Brasil é um país que não lê, que livros são caros e outras chorumelas são aquelas pessoas mais sovinas com os seus livros, contribuindo com o baixo número de livros lidos por ano por pessoa
  6. Socializar suas preferências: quando seus amigos gostam dos mesmos autores que você ou compartilham dos mesmos gostos literários vocês têm mais sobre o que conversar. Dando livros de seus autores preferidos você contribui com esse ambiente
  7. Ser generoso: não é para bonito ou para dizer que você é generoso. A generosidade é uma qualidade que é um bem em si e quem já descobriu isso não tem como expressar. Por exemplo, a gratidão de um amigo que descobriu um novo autor graças a você não tem preço
  8. Exercitar o desapego: poucas coisas são realmente essenciais. E, embora eu ame livros, a posse dos livros não é uma delas. Os livros, seu conteúdo e seu objetivo de espargir ideias, sim, o são. Estamos partindo para um momento em que o ser é mais importante que o ter, as experiências mais importantes que as posses
  9. Manter a voz de seus escritores preferidos viva: já falei sobre isso no início do texto, mas julgo importante

Assim, minha sugestão é: doe e dê livros que estão em sua estante.

Escolha pelo menos metade deles e experimente o ato transformador que é fazer os livros voarem.

Escolha amigos adequados para livros adequados e presenteie.

Escolha a biblioteca que melhor receberá essas obras, de maneira que eles cheguem ao maior número de pessoas possível.

 

E se você quiser coroar esse post com a leitura de belo texto de José Carlos Fernandes sobre a Bibliopote, acomode-se e entre aqui: Dois pães e um livro, por favor.

Imagem inicial daqui.

Read Full Post »

Aqui estamos para apresentar a mais recente resenha de atividades da Freguesia. Assim, você que nos doa livros, acompanha os movimentos que seus livros estão fazendo e percebe que é um importante agente nesse incentivo à leitura.

Livros em uma escola de yoga: Ashram Montserrat- Lui. Combinando com o perfil do público, uma caixa está a disposição dos alunos em um lugar cheio de paz e bons fluidos.

Livros na Sensorial Bazzar, uma loja que preza o bem-estar. Lá também colocamos à venda lindos marcadores de livro doados pela amiga Carmen Strobel.

Começamos a ajudar a formação de uma biblioteca comunitária no bairro Uberaba, aqui em Curitiba, idealizado pela professora Nadzieja.

Concluímos a organização da biblioteca na instituição Passos da Criança.

Uma caixa de livros foi para a Pousada Ribeirão das Pedras, em Bocaiúva do do Sul. Hóspedes com literatura!

Livros estrangeiros em alemão, inglês, francês, espanhol, italiano… Para onde? Para o Celin, centro de línguas da UFPR. Livros para os alunos se servirem à vontade!

No Restaurante Vegetariano Sorella – Curitiba. Por enquanto, no do Centro Cívico. Em breve também no Champagnat.

No restaurante Costela no Rolete Nick. Os fregueses têm mais um bom motivo para ir e vir.

Mais EcoCidadãos receberam caixas com livros. Dessa vez estivemos na Associação Natureza Livre. Faltam poucos para completarmos todas as associações de catadores de material reciclável de Curitiba.

E continuamos a restaurar caixas e mais caixas de frutas, transformando-as em caixas de livros. Trabalho em equipe.

Read Full Post »

Energia. É o que a gente percebe na professora Nadzieja. Dá aulas em casa, prepara a moçada para concursos, cheia de estratégias infalíveis que anos e anos de magistério lhe ensinaram. Faz oficinas literárias na Fundação Cultural de Curitiba, tem textos publicados, outros sendo escritos e está aprendendo a restaurar livros.

E quer começar uma biblioteca na comunidade onde mora, no bairro Uberaba – Curitiba. Está arrecadando livros, cadastrando-os e se preparando para logo ocupar o espaço que a Associação Comunitária da Vila São Paulo vai ceder  com estantes e livros para a população da vizinhança que tinha aprendido a gostar de ler nos 15 anos de existência da Biblioteca Casa Kozác, fechada por motivos diversos.

A Freguesia levou livros. E pretende continuar levando, para que esse sonho de Nadzieja se torne realidade. Sua energia é contagiante e nós fomos irremediavelmente contaminados.

Read Full Post »

Older Posts »