Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Livros’

1001554_525835994156747_1822001700_n

Juliana fez um apelo através do Facebook: queria mandar livros para São Domingos do Capim, no Pará. Ela esteve lá em julho de 2013, participando do Projeto Rondon, que leva universitários para cidades com baixo índice de desenvolvimento no Brasil..

A cidade destino de Juliana, São Domingos do Capim, está situada no meio da floresta Amazônica, tem cerca de 30.000 habitantes e como era de se esperar, muitas carências, entre elas o acesso à leitura. Os moradores calorosos e receptivos conquistaram essa estudante de Publicidade e Propaganda que não encerrou seu vínculo com o lugar voltando para Curitiba. Chegando em casa, iniciou uma arrecadação de livros para enviar para o Pará.

1362_525486557525024_1970440279_n

1001691_517735561633457_112097022_n

Conseguiu muitos livros, foi lindo de ver. Conseguiu também quem levasse as muitas caixas para aquelas lonjuras e prometeu nos enviar as fotos quando os livros chegarem a seu destino final, o que pode levar uns três meses, depois de várias ajudas voluntárias e baldeações.

542227_538209929586020_1686104378_n

Juliana Branco, brasileira, rondonista e um exemplo de que quando a gente resolve fazer, a gente faz.

1185631_497115833714950_94845991_n

Para ter um panorama completo da experiência de Juliana, veja esse blog: marcosslaviero.com

Juliana não está mais arrecadando livros.  E foi parceira da Freguesia do Livro encaminhando para nós os livros que não combinavam com a comunidade para onde iam. Inspire-se nesses exemplos e pense que sempre é tempo de rever suas prateleiras e seus livros parados lá!

Read Full Post »

PicMonkey Collage-4

A Freguesia do Livro, que recebe livros já lidos e os faz chegar a novos leitores, é um excelente modo de fazer uma ação social: tudo que você precisa fazer é compartilhar leituras e nos ajudar a diminuir a desigualdade brasileira através da educação.

Você pode escolher, entre as alternativas abaixo, o modo como participar desse movimento literário que tira livros parados de prateleiras e os faz circular:

a) você pode doar livros que já leu e não vai ler mais. Para a Freguesia do Livro ou outro lugar que possa se beneficiar com eles.

b) você pode arrecadar livros e repassar para a Freguesia do Livro ou outra iniciativa de leitura por perto de você.

c) você pode criar um Ponto de Leitura da Freguesia do Livro, uma biblioteca comunitária. Identificar um lugar que precisa que seus clientes ou funcionários tenham acesso a uma caixa de livros livres e cadastrar esse local aqui.

d) você pode espalhar essa ideia: se gosta de ler, pode emprestar livros, pode dar para quem sabe que vai gostar, o livro que acaba de ler. Ler se ensina, gostar de ler se incentiva. E criar leitores é tarefa de todos nós.

Participe de algum jeito, contamos com você. Muitos conceitos estão envolvidos no simples ato de doar um livro: consumo consciente, acesso à cultura, educação e responsabilidade social. Tudo isso.

O tempo passa rápido. Livros parados em sua casa estão deixando de ser lidos por outras pessoas. Pense nisso.

Quer entender melhor o que a Freguesia do Livro faz? Veja aqui.

Quer começar um ponto de leitura? Cadastre-se aqui.

Você também pode gostar de….

Acervos

Ter tanto

 

Read Full Post »

A Freguesia do Livro existe porque algumas (cada vez mais, que bom) pessoas doam seus livros para que possamos criar pontos de leitura nos mais diversos locais. E para nós é muito importante mostrar para onde seus livros estão indo. Continuamos trabalhando e muito! Espalhando os livros e levando literatura e informação para muitos lugares. Aprecie.

Começamos o ano levando livros para Ilha de Valadares, uma pequena ilha que fica bem na frente de Paranaguá com acesso de carro apenas por uma pequena ponte, onde se passa só com autorização especial. E a Freguesia foi autorizada! Chegamos lá com um carro abarrotado de livros para 3 CMEIs (Centros Municipais de Educação Infantil): crianças de 0 a 6 anos receberam muitos livros lindos! Inclusive uma boa parte dos livros enviados da Holanda pela Juliette.

DSC01628

DSC01631

Ilha de Valadares tem uma educadora muito ativa que combina muito com a Freguesia: ela faz parte de um projeto que estimula a leitura dos pais junto com as crianças do CMEI. É o projeto Sacolas Viajantes, do qual você pode saber mais aqui. Envolve leitura e desenho, e por tabela estimula os pais a lerem mais. Por isso levamos livros para adultos também, é claro!

Captura de Tela 2013-05-01 às 11.27.19

Fernanda precisava apresentar um projeto na sua escola e teve a ideia de falar sobre a Freguesia do Livro. Arrecadou livros e junto com os que mandamos, montou um ponto de leitura na Paróquia Nossa Senhora do Bom Conselho, em Santa Felicidade, Curitiba. Ler mais é mesmo um bom conselho.

Freguesia do Livro 013

Livros e frutas combinam? E como! No meio das caixas de bananas, maçãs e uvas, desponta uma cheia de cultura e histórias. Com uma aceitação que nos faz pensar que esse é um lugar ideal para colocar mais caixas como essas. Você não conhece uma quitanda perto da sua casa onde poderíamos levar uma caixa cheia de livros? Avise-nos, que a gente leva (Curitiba e região metropolitana. Se for de mais longe, um desafio: arrecade livros e comece você um ponto de leitura). Caixas com livros na Frutaria São Francisco, no Ahú e na Casa Camponesa, no Hugo Lange. Visite e alimente sua fome de cultura.

DSC01649

DSC01934

Rotaryanos ajudam a comunidade, isso todos sabemos. Essa gestão do Rotary Club Tibagi Guartelá identificou escolas rurais que tinham bibliotecas desabastecidas e solicitou o envio de livros. Eles foram levados para Ponta Grossa no caminhão de uma empresa que apoia nosso trabalho. Lá foram pegos pela Marise que tinha feito o contato e levados para a Escola Estadual Baldomero Bittencourt Taques, a 40 km de Tibagi. Rodaram, mas chegaram!

Captura de Tela 2013-04-30 às 21.30.16

Captura de Tela 2013-04-30 às 21.31.12

A Gráfica Inpag, que nos ajudou com etiquetas adesivas, pensou e decidiu que ter livros para seus funcionários era uma boa ideia. Uma caixa da Freguesia partiu para Ponta Grossa.

DSC05921

Algumas reposições aconteceram: levamos mais livros para os Centros de Hemodiálise da Pró-Renal e outros foram enviados para colaborar com as simpáticas Mini-bibliotecas de Araucária.

DSC01664

Captura de Tela 2013-05-01 às 11.42.43

Continua…

Read Full Post »

Pela segunda vez estivemos na Utfpr fazendo uma distribuição gratuita de livros para os alunos de lá. Dá gosto de ver algo em torno de 750 livros serem levados por pessoas que os escolhem, comentam entre si o que acham das obras, disputam um volume e negociam o repasse depois de lido.

De quebra, com os livros embaixo do braço, chegam em casa e pensam nos que têm parados em suas estantes e que podem entrar na nossa roda literária.

Um grande BookCrossing: livros que a Freguesia recebeu em doação, levados a universitários e encontrados por pessoas que saberão apreciar sua importância.

Captura de Tela 2013-04-18 às 17.52.44

Captura de Tela 2013-04-18 às 17.55.53

Captura de Tela 2013-04-18 às 17.57.08

Captura de Tela 2013-04-18 às 17.51.36

Captura de Tela 2013-04-18 às 17.51.58

Captura de Tela 2013-04-18 às 17.52.57

Captura de Tela 2013-04-23 às 21.52.49

Esse post participa do 6o BookCrossing Blogueiro, promovido pelo Luz de Luma. Gostamos de participar e concordamos plenamente que literatura precisa circular.

Captura de Tela 2013-04-23 às 21.59.58

Read Full Post »

Captura de Tela 2013-04-14 às 14.45.38
Doar livros parece difícil, não parece? Quem tem livros é leitor, gosta do que comprou e leu e guarda porque… por que mesmo? Para reler, quem sabe. Para lembrar do que já foi lido, prateleiras abarrotadas de histórias que já cumpriram seu papel e poderiam partir para outros leitores, outras leituras.

Por sorte, muitas pessoas pensam como nós e, periodicamente, revêem seus acervos, tiram o que pode sair para abrir espaço para o que deve entrar.

Com imensa alegria, recebemos uma ótima doação da escola onde nossos filhos estudaram, livros que podem ter passado nas mãos deles e que agora vão chegar nas mãos de outras tantas crianças.

Fica a ideia: escolas particulares que em geral têm grande acervo em suas bibliotecas podem dar uma olhada generosa em seus volumes e mandar alguns para participar de nossa corrente literária. Seus livros irão parar em prateleiras de escolas públicas, próximas ou muito distantes, onde essa carência, infelizmente, existe.

Sua escola ou a escola onde seu filho estuda também podem entrar nesse movimento. Que tal uma arrecadação de livros entre alunos, pais e funcionários? Muitas escolas de Curitiba já participaram. Seja bem vindo e faça parte. Entre em contato pelo contato@freguesiadolivro.com.br

Cópia de PicMonkey Collage

Aqui, um breve depoimento de Luci Serricchio, diretora pedagógica da Escola Anjo da Guarda – Curitiba. A ela e à escola agradecemos a doação. A quem nos lê, esperamos que leve essa ideia à escola de seu filho.

Edição do vídeo: Bernardo Duarte

Ilustração inicial de Carla dos Anjos: daqui

Read Full Post »

DSCN3404A

Na trajetória da Freguesia já encontramos todos os tipos de relações com livros: pessoas que nos olham espantadíssimas pela simples menção à retirada de qualquer volume de suas casas, viram as costas e nos deixam falando sozinhas; aquelas em que vemos, enquanto desfilamos o discurso sobre nosso movimento literário, o surgimento por trás do olhar de uma dúvida – “Será que preciso mesmo guardar todos aqueles meus livros”? – e outros que parecem ficar muito felizes em encontrar na Freguesia um modo de dar um destino bom e confiável aos livros que desejam colocar para viajar por aí.

E tem os que sabem que livros são moeda cultural preciosa e fazem deles um jeito de mudar o mundo. São os amigos, lojas e empresas que fazem arrecadações de livros e os enviam para nós. Recentemente recebemos uma excelente doação do escritório de advocacia Augusto Prolik, aqui de Curitiba, e da Leroy Merlin, onde muitas caixas nos aguardavam.

large_3287986172

Exemplo extremo, quando falamos de arrecadações de livros, é  Juliette que nos envia da Holanda livros infantis que ela traduz e adesiva com textos em português. E ainda faz uma coleta de dinheiro entre amigas para as despesas de envio pelo correio.

PicMonkey Collageju

Em 2012 e novamente agora, em maio de 2013, Tati Kli, empreendedora e cheia de ideias, promove o 2GetSale, um encontro de tendências, moda, gastronomia e decoração. E a entrada do evento: livros para a Freguesia do Livro! Iniciativa que adoramos!

Captura de Tela 2013-04-14 às 12.12.50

Fica a ideia: se você tem loja, escritório, restaurante, vai à igreja, à academia, ao salão de beleza, ao churrasco com amigos, faz festas, aniversário de criança, eventos culturais… Faça uma arrecadação de livros. Um pedágio literário. E lembre de nós!

DSC00137

DSCN1847

Read Full Post »

Freguesia do Livro 011Fernanda precisava fazer um projeto para sua escola. Pensou, pesquisou e decidiu: ia falar para seus colegas de sala sobre a Freguesia do Livro.

Reuniu fotos das nossas bibliotecas, me entrevistou em um café, acompanhada de sua grande parceira e estimuladora, a mãe Carla. Com uma caixa de livros infanto-juvenis fornecidos pela Freguesia e mais uns que escolheu em sua casa, fez a palestra. Incentivou os amigos a doar seus livros lidos, a trocar por outros que estavam na caixa. Com os livros que arrecadou, Fernanda montou um ponto de leitura na Paróquia Nossa Senhora do Bom Conselho – São Brás – Curitiba. Livros infanto-juvenis para as crianças e jovens da comunidade.

Lindo, não? Fernanda estimulando o desapego para seus colegas de escola e levando livros para crianças que têm pouco acesso.

Uma ideia a ser espalhada e copiada. Parabéns, Fernanda. A Freguesia do Livro te considera um grande exemplo.

Freguesia do Livro 003

Freguesia do Livro 013

 

Read Full Post »

Temas de reflexões apaixonantes, discussões engajadas  e cheios de complexidade, eles sempre nos fazem pensar…

  • Para onde vão seus livros depois de doados? Doar livros é essencial e muitas pessoas estão praticando o desapego e doando seus livros. Mas como saber para quem doar? A instituição é de confiança? Meus livros serão lidos? Siga essas dicas para buscar informações sobre campanhas de arrecadação de livros antes de doá-los sem conhecer exatamente seu destino. Tenha certeza de que sua contribuição será útil para muitos.
  • Livros e revistas semanais ou de atualidades antigos (Veja, Superinteressante, Isto É, Época), livros didáticos, apostilas de cursinho vestibular ou de idiomas (preenchidos ou em branco), enciclopédias velhas e livros jurídicos antigos, desatualizados, livros e gibis riscados, rasgados e manchados, que já não servem para consulta ou leitura, podem ser aproveitados para reciclagem. E você mesmo pode encaminhá-los. Saiba como.
  • booksEntenda porque os livros didáticos e apostilas de cursinho vestibular ou de idiomas não servem como doação para algumas bibliotecas comunitárias.

Outros posts interessantes:

Read Full Post »

Às vezes parecemos meio quietos, mas pode contar que livros continuam chegando e pontos de leitura continuam sendo montados pela Freguesia do Livro. Mostramos aqui nossas mais novas ações:

Depois de longa aventura, Ivonete recebeu livros para sua Associação de Moradores Jardim São Vicente, em Ponta Grossa/PR. Demorou, mas pelas fotos vimos que ficaram bem contentes. Mais livros estão partindo de Curitiba para lá essa semana.

De Ponta Grossa também veio importante ajuda Gráfica INPAG: doação de adesivos para colar nos livros. Eles são fundamentais para a divulgação de nossa corrente literária.

Para Abelardo Luz/SC, os astros conspiraram a favor da Freguesia e do acesso à leitura: numa conversa em um café, descobrimos que o pai do rapaz que nos servia um delicioso espresso no Cafezau, estava indo para… Abelardo Luz! Uma carona literária e Bruna recebeu seus livros para o  Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Veja as fotos e atente ao papel de parede feito com jornal. Não é perfeito? Reciclagem e leitura nas paredes!

Mais uma escola de yoga oferece uma caixa de livros para seus alunos. Dessa vez é o Ashram Montserrat.

Hostel BackPackers Curitiba. Essa foi por acaso. Passamos na frente, gostamos do jeito do hostel e ligamos para lá: “Que tal uma caixa de livros para seus hóspedes?”. Toparam na hora e os viajantes agora tem mais uma alegria naquele belo hotel.

Celin + Pousada Ribeirão das Pedras: reposição de livros, pois o sucesso foi retumbante.

Terra Verdi – Café Orgânico, no Shopping Itália, aqui em Curitiba. Claudio, o proprietário, ficou bem animado com a possibilidade de oferecer leitura e troca de livros para seus clientes. Já levamos até uma reposição de livros. O TerraVerdi tem um blog, visite para ver como vai indo a Freguesia do Livro por lá: www.organicosdobrasil.blogspot.com

Mercearia Café Slow Food, no Centro Cívico em Curitiba. Descobriu a Freguesia na internet, solicitou os livros e com eles começou um Canto da Leitura no restaurante. A proposta é um espaço agradável, uma sala para ler com um sofá confortável, trocas de livros, jogos para as crianças e conversas informais sobre livros lidos. Muito bacana.

Senai – CIC. Voltamos lá para mais uma distribuição gratuita de livros para jovens. Um público ávido para receber livros de diferentes estilos. Vale a pena ver a carinha da moçada encontrando livros que desejariam ter. Junto com a doação vai sempre a ideia: depois de ler, passe adiante. E veja lá na sua casa se não tem livros para doar também. Plantando sementes de boa leitura e desapego na cabeça de jovens.

O pedido de livros da Daniela tem praticamente a idade da Freguesia do Livro. Um dos nossos primeiros pedidos para fora de Curitiba, parecia de simples solução: ela tinha um amigo, o Juninho, que frequentemente faz o trajeto Curitiba-Cananéia/SP. Demorou, mas chegou. Juninho fez uma carona literária e os livros chegaram, levando literatura e lazer para o Sitio Bela Vista, um refúgio na Mata Atlântica.

Precisávamos mandar alguns livros para Brasília. Arriscamos ver se alguém podia levar uns livrinhos lá. E uma carona solidária se apresentou. Uma amiga, Patrícia, que se dispôs a mandar no malote diário de sua empresa de engenharia com obra por lá, um ou dois livros, até completar o pequeno acervo que queríamos enviar. Forças que se unem e chegam a um resultado tão bacana!

O Instituto Positivo nos chamou para fazer uma parceria com a equipe da Positivo Informática na sua Gincana Voluntária. A gincana se constitui de duas etapas, uma que promove o acesso à leitura e outra, a reciclagem. Participamos sugerindo algumas ideias e recebendo uma excelente doação de livros dos funcionários envolvidos na campanha e do Colégio Estadual Yvone Pimentel, estabelecimento de ensino escolhido pelo grupo para ter sua biblioteca reavivada. Achamos a ideia ótima: um movimento interno em empresas para a realização de ações sociais, com um toque de competição.

A Livrarias Curitiba também nos fez uma super doação. Livros que, juntamente com os da Positivo Informática e de cada um de vocês que nos doou poucos ou tantos livros, estão fazendo parte desse movimento lítero-libertário. Também aos doadores anônimos, que entregam livros em nossos pontos de coleta. Todos fazendo livros circularem, é disso que a Freguesia gosta.

Obrigado por fazerem parte dessa corrente!

Read Full Post »

Além de ser muito legal, doar livros é uma atitude solidária.

Essa é a coleção de livros doados pela Kátia Klassen, professora de língua portuguesa, literatura brasileira e redação jornalística, diretamente de seu acervo pessoal, trazidos de São Paulo para Curitiba. Parte da coleção foi doada para a biblioteca comunitária que a Professora Nadzieja está montando no bairro Uberaba. Um grande exemplo de solidariedade que pode ser praticado por muitas pessoas.

É bacana perceber que as pessoas estão se conscientizando da importância de doar livros e destiná-los a locais em que elas sabem que serão bem aproveitados. No início de nosso trabalho com a Biblioteca Comunitária do Sítio Vanessa, há um ano e três meses, encontramos algumas resistências. O livro no Brasil é caro, isso é um fato, e quem compra tem apego, seja por amar aquele livro, aquela história, aquele autor, e também pelo preço que pagou naquele exemplar.

Mas ao longo desse ano, encontramos pessoas dispostas a deixar seus livros livres para novos leitores.

O importante para quem está iniciando uma biblioteca comunitária, ou que já tem uma em funcionamento é mostrar retorno àqueles que doaram livros. Publicar nos blogs e redes sociais as iniciativas com fotos e textos descritivos e mostrar as ações educativas, as tardes recreativas, os momentos de leitura, para que aqueles que doaram livros possam ver que eles estão sendo muito bem aproveitados, e o mais importante, perpetuados.

Para aqueles que estão começando a se desapegar de alguns exemplares e que estão abrindo a mente para uma possível doação, meu conselho é que procurem locais idôneos, conheçam as bibliotecas do bairro e da comunidade, dediquem-se a uma pesquisa um pouquinho mais aprofundada, seja na Internet, ou pelo telefone, ou até mesmo na conversa diária com amigos, colegas, vizinhos e parentes, para descobrir qual é o melhor local,  o mais apropriado para doar seus livros e ter a certeza de que eles serão bem aproveitados e utilizados tão bem quanto o antigo dono.

Foto: Daniele Carneiro – Texto publicado originalmente em Bibliotecas do Brasil

Read Full Post »

Older Posts »