Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Lítero-libertário’ Category

PicMonkey Collage-4

A Freguesia do Livro, que recebe livros já lidos e os faz chegar a novos leitores, é um excelente modo de fazer uma ação social: tudo que você precisa fazer é compartilhar leituras e nos ajudar a diminuir a desigualdade brasileira através da educação.

Você pode escolher, entre as alternativas abaixo, o modo como participar desse movimento literário que tira livros parados de prateleiras e os faz circular:

a) você pode doar livros que já leu e não vai ler mais. Para a Freguesia do Livro ou outro lugar que possa se beneficiar com eles.

b) você pode arrecadar livros e repassar para a Freguesia do Livro ou outra iniciativa de leitura por perto de você.

c) você pode criar um Ponto de Leitura da Freguesia do Livro, uma biblioteca comunitária. Identificar um lugar que precisa que seus clientes ou funcionários tenham acesso a uma caixa de livros livres e cadastrar esse local aqui.

d) você pode espalhar essa ideia: se gosta de ler, pode emprestar livros, pode dar para quem sabe que vai gostar, o livro que acaba de ler. Ler se ensina, gostar de ler se incentiva. E criar leitores é tarefa de todos nós.

Participe de algum jeito, contamos com você. Muitos conceitos estão envolvidos no simples ato de doar um livro: consumo consciente, acesso à cultura, educação e responsabilidade social. Tudo isso.

O tempo passa rápido. Livros parados em sua casa estão deixando de ser lidos por outras pessoas. Pense nisso.

Quer entender melhor o que a Freguesia do Livro faz? Veja aqui.

Quer começar um ponto de leitura? Cadastre-se aqui.

Você também pode gostar de….

Acervos

Ter tanto

 

Anúncios

Read Full Post »

Às vezes parecemos meio quietos, mas pode contar que livros continuam chegando e pontos de leitura continuam sendo montados pela Freguesia do Livro. Mostramos aqui nossas mais novas ações:

Depois de longa aventura, Ivonete recebeu livros para sua Associação de Moradores Jardim São Vicente, em Ponta Grossa/PR. Demorou, mas pelas fotos vimos que ficaram bem contentes. Mais livros estão partindo de Curitiba para lá essa semana.

De Ponta Grossa também veio importante ajuda Gráfica INPAG: doação de adesivos para colar nos livros. Eles são fundamentais para a divulgação de nossa corrente literária.

Para Abelardo Luz/SC, os astros conspiraram a favor da Freguesia e do acesso à leitura: numa conversa em um café, descobrimos que o pai do rapaz que nos servia um delicioso espresso no Cafezau, estava indo para… Abelardo Luz! Uma carona literária e Bruna recebeu seus livros para o  Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Veja as fotos e atente ao papel de parede feito com jornal. Não é perfeito? Reciclagem e leitura nas paredes!

Mais uma escola de yoga oferece uma caixa de livros para seus alunos. Dessa vez é o Ashram Montserrat.

Hostel BackPackers Curitiba. Essa foi por acaso. Passamos na frente, gostamos do jeito do hostel e ligamos para lá: “Que tal uma caixa de livros para seus hóspedes?”. Toparam na hora e os viajantes agora tem mais uma alegria naquele belo hotel.

Celin + Pousada Ribeirão das Pedras: reposição de livros, pois o sucesso foi retumbante.

Terra Verdi – Café Orgânico, no Shopping Itália, aqui em Curitiba. Claudio, o proprietário, ficou bem animado com a possibilidade de oferecer leitura e troca de livros para seus clientes. Já levamos até uma reposição de livros. O TerraVerdi tem um blog, visite para ver como vai indo a Freguesia do Livro por lá: www.organicosdobrasil.blogspot.com

Mercearia Café Slow Food, no Centro Cívico em Curitiba. Descobriu a Freguesia na internet, solicitou os livros e com eles começou um Canto da Leitura no restaurante. A proposta é um espaço agradável, uma sala para ler com um sofá confortável, trocas de livros, jogos para as crianças e conversas informais sobre livros lidos. Muito bacana.

Senai – CIC. Voltamos lá para mais uma distribuição gratuita de livros para jovens. Um público ávido para receber livros de diferentes estilos. Vale a pena ver a carinha da moçada encontrando livros que desejariam ter. Junto com a doação vai sempre a ideia: depois de ler, passe adiante. E veja lá na sua casa se não tem livros para doar também. Plantando sementes de boa leitura e desapego na cabeça de jovens.

O pedido de livros da Daniela tem praticamente a idade da Freguesia do Livro. Um dos nossos primeiros pedidos para fora de Curitiba, parecia de simples solução: ela tinha um amigo, o Juninho, que frequentemente faz o trajeto Curitiba-Cananéia/SP. Demorou, mas chegou. Juninho fez uma carona literária e os livros chegaram, levando literatura e lazer para o Sitio Bela Vista, um refúgio na Mata Atlântica.

Precisávamos mandar alguns livros para Brasília. Arriscamos ver se alguém podia levar uns livrinhos lá. E uma carona solidária se apresentou. Uma amiga, Patrícia, que se dispôs a mandar no malote diário de sua empresa de engenharia com obra por lá, um ou dois livros, até completar o pequeno acervo que queríamos enviar. Forças que se unem e chegam a um resultado tão bacana!

O Instituto Positivo nos chamou para fazer uma parceria com a equipe da Positivo Informática na sua Gincana Voluntária. A gincana se constitui de duas etapas, uma que promove o acesso à leitura e outra, a reciclagem. Participamos sugerindo algumas ideias e recebendo uma excelente doação de livros dos funcionários envolvidos na campanha e do Colégio Estadual Yvone Pimentel, estabelecimento de ensino escolhido pelo grupo para ter sua biblioteca reavivada. Achamos a ideia ótima: um movimento interno em empresas para a realização de ações sociais, com um toque de competição.

A Livrarias Curitiba também nos fez uma super doação. Livros que, juntamente com os da Positivo Informática e de cada um de vocês que nos doou poucos ou tantos livros, estão fazendo parte desse movimento lítero-libertário. Também aos doadores anônimos, que entregam livros em nossos pontos de coleta. Todos fazendo livros circularem, é disso que a Freguesia gosta.

Obrigado por fazerem parte dessa corrente!

Read Full Post »

É uma boa ideia, calma. Que tal se juntar a nós numa proposta simpática e simples? Pedágio Literário.  Vai receber amigos para um jantar? Peça que cada um traga um livro de casa para doar – já lido, esquecido e abandonado num canto, é até um favor. Marcou um lanche com as amigas em um café charmoso? Pede um livro de cada. Vai reunir a turma da faculdade para um happy hour? Solicitação de doação de livro neles! Está organizando um evento e não aguenta mais pedir lata de leite em pó ou alimento não perecível? Varie, peça que tragam um livro ou revistas em quadrinhos.

Todo mundo tem um livro que pode doar sem dor, mas nunca parou para pensar nisso. Com uma ideia tão simples, quem sabe a pessoa não vai até sua estante de livros e percebe que mais de um livro poderia sair dali para ir visitar novas paragens…

E o que fazer com os livros que você arrecadar? Manda para nós! A gente distribui para novos leitores.

Pratique o Pedágio Literário e depois conte suas experiências para nós. Pode render boas histórias que publicaremos aqui!

Esse post participa do BookCrossing Blogueiro do Luz de Luma. No blog encontrei essa texto que combina muito com o jeito que a Freguesia do Livro pensa:

“Lembre-se que deixar um livro fechado tem o mesmo valor de folhas em branco. Não deixe que histórias, reflexões e conhecimentos se enclausurem.”

Read Full Post »

Explicação baseada no texto do Alessandro Martins do blog Livros e Afins. Você pode ver o post na íntegra aqui. É ótimo.

Começar uma biblioteca comunitária é simples: basta querer – e fazer.

Do que você precisa:

1. Uns 40 livros: livros bons, adequados ao público que terá acesso a eles. Pode parecer que sejam poucos no início, mas a ideia do desapego vem junto com a biblioteca: todos podem levar, mas também todos podem doar.

  • livros que você considera bons, livros que você ama, pelo conteúdo que eles carregam, como transportadores de prazer, conhecimento e diversão
  • pratique o desapego. Serão livros que não serão mais seus, mas de todos. Possivelmente, alguns deles você não verá mais. Troque o prazer de ter pelo prazer de compartilhar. Acredite, é muito bom ver um desconhecido folhear interessadamente um livro que você deixou à disposição. Principalmente se for um livro que você gosta
  • se você esperar para ter muitos livros para ter a iniciativa, vai acabar desistindo. Comece com pouco e conte com o “efeito bola de neve” e com o impacto que um gesto simples, mas efetivo, pode causar em sua comunidade

2. Um lugar. Quanto mais inusitado, melhor. Pode ser numa padaria, num salão de beleza, um açougue, a farmácia da esquina. O café que você frequenta, a sala de espera de uma clínica, a cantina de uma empresa. Você pode oferecer a possibilidade de uma biblioteca aos donos do lugar, é bem provável que aceitem. No lugar onde a biblioteca vai funcionar, verifique se já existe um armário ou estante que pode abrigar os livros. Se não houver, dê ideias: estantes de lojas de móveis usados, caixotes de feira, geladeiras que não funcionam. A parte de cima de um armário, uma gaveta reciclada. Vale tudo.

3. Um sistema. Simples, que favoreça a circulação dos livros, com pouca burocracia. A biblioteca é livre, o empréstimo é livre. Um texto na estante dos livros e dentro de cada um deles, dirá: “Esse livro quer ser lido, sempre. Quando você tiver acabado de ler, deixe que ele continue sua viagem”. Ou “Leve, leia e devolva quando terminar”. Um carimbo ou um adesivo resolvem isso. A iniciativa valoriza a leitura do livro, não a sua posse.

4. Use as mídias sociais para divulgar a sua biblioteca. O importante é divulgar o projeto, para estimular o desapego aos livros, facilitar a recepção de doações e colocar os livros à disposição da comunidade. Crie uma rede de iniciativas e bibliotecas comunitárias que acreditem nessa ideia, para que ela se espalhe.

5. Repetindo: deu vontade, faça. Não conte com leis de incentivo ou com ajuda do governo. Isso só vai atrasar e desmotivar você. Você pode agir por conta própria. Não conte com a ajuda dos outros para começar a fazer, mas conte com a ajuda dos outros no andamento do projeto.Lembre-se: ninguém precisa mudar o mundo. Apenas a parte do mundo que é capaz de mudar.

6. Se deu vontade mesmo e você quer começar uma biblioteca livre ou um ponto de leitura, ou se você já tem uma biblioteca e quer aumentar seu acervo cadastre-se aqui. Muitos livros estão chegando e queremos lugares para colocá-los. Divulgue essa ideia. Espalhe o bichinho do desapego por aí.

13521955_1091602484251861_1275816861600780246_n

Read Full Post »

10320573_1022261167852660_5120544269231307777_n
A Freguesia do Livro recebe livros em doação e os distribui para pequenas bibliotecas livres, informais, comunitárias de Curitiba e região metropolitana. Nossos Pontos de Leitura. E oferecemos a você várias formas de participar de nosso  movimento de livre circulação literária. Ajude-nos a compartilhar leituras:

analisando seu acervo de livros com um novo olhar, com desapego e generosidade, para permitir que levem lazer e informação a outros leitores. Doe livros e entre me nossa rede de compartilhamento.

– se você conhece ou está diretamente envolvido com editoras e livrarias que possam ter estoques sem destino certo, conte para a gente!

– você pode compartilhar nossas redes sociais e a ideia com amigos. O desapego aos livros é tema de conversas longas e levemente insistentes. Até há pouco tempo, ter livros em estantes enormes era importante. A ideia é simples: ter é diferente de reter. Entra um livro, sai um livro. Lembrando que nosso foco não é apenas a doação de livros e a formação de pequenas bibliotecas comunitárias, mas também a formação de leitores e a multiplicação do projeto em outras cidades do Brasil.

– você pode  criar um ponto de leitura. Todo e qualquer lugar serve:  um cantinho dentro da sua farmácia, do seu pet shop, de uma boutique, lanchonete, empresa, do seu consultório, do salão de beleza, restaurante, lavanderia, creches, cafés…. Dê a ideia no açougue, na padaria, na academia que frequenta. Ajude a espalhar literatura. E cadastre-se aqui.

– você pode ser um apoiador financeiro do projeto e ter sua marca divulgada pela Freguesia do Livro em suas redes sociais e material gráfico. Além disso, locais que abrigarem nossos pontos de leitura terão seus nomes associados a um movimento que dá acesso à cultura. Um jeito bacana de de ter responsabilidade social.

Venha fazer parte!

Read Full Post »

A Freguesia do Livro é um movimento que faz livros circularem, uma corrente literária cujos elos são:

– pessoas que reveem seus acervos e doam seus livros esquecidos em suas estantes.
– pontos de coleta para esses livros doados.
– pessoas que recebem, selecionam e classificam os livros doados.
– pontos de leitura: bibliotecas comunitárias já existentes (cadastradas neste formulário) ou em formação (cadastradas aqui).
– entrega de livros às pequenas bibliotecas de acordo com o perfil do público de cada uma.

Com um movimento simples como esse, a recolocação de livros parados em acervos pessoais ou estoques editoriais, você estará levando a pequenas comunidades a possibilidade da leitura e tudo o que a ela está atrelado – lazer, aprendizagem, cultura, discernimento e senso crítico. Um Brasil melhor vem como brinde.
Aqui, você pode ver um exemplo de uma iniciativa de uma biblioteca comunitária instalada em uma barbearia, que trouxemos do blog Livros e Afins.

E no próximo post você vai ver que tipos de livros recebemos.

Read Full Post »

22581808_1655079671221123_3427098832343662592_n

1. O que é?
A Freguesia do Livro é uma organização sediada em Curitiba/PR que desde 2012 promove leitura, levando livros de encontro aos leitores. A iniciativa propõe uma corrente literária que coloca em movimento livros que estavam parados nas casas de pessoas, incentivando a leitura para todos em todos os lugares.
Recebemos doações de livros que organizamos e encaminhamos, criando locais que chamamos Pontos de Leitura – caixas de livros livres para clientes, alunos, funcionários de cada local, em Curitiba e cidades vizinhas. Os interessados preenchem um cadastro e recebem um acervo com livros escolhidos especialmente para o perfil do público que o frequenta. Também colaboramos na criação e manutenção de bibliotecas comunitárias.
Nossa causa é simples. Acreditamos que ler se ensina, gostar de ler se incentiva.
Incentivamos a leitura prazerosa, autônoma e transformadora que desenvolve a capacidade crítica e construção de conhecimento. Investimos no incentivo à leitura para crianças e para populações adultas e formadoras, como professores, cuidadores e instituições, através de oficinas de mediação e do despertar para o gosto pela leitura. Associado à facilitação do acesso, é fundamental investir firmemente na formação do leitor, pois dados recentes mostram que o Brasil investe muito na publicação de livros e praticamente nada no interesse por eles.

2. Como atua?
Recebemos doações de livros em bom estado que são selecionados, classificados e encaminhados para Pontos de Leitura e bibliotecas comunitárias. Para criar um ponto de leitura ou receber livros da Freguesia para pequenas bibliotecas já existentes que queiram aumentar e/ou renovar seus acervos, cadastre-se aqui.

3. Quem pode participar? Como?
A Freguesia do Livro é um movimento voluntário, participa quem acredita que divulgar a leitura e facilitar o acesso aos livros pode fazer diferença no desenvolvimento de uma comunidade.Pode participar quem acredita que divulgar a leitura e facilitar o acesso aos livros pode fazer diferença no desenvolvimento de uma comunidade.
Você pode ajudar doando livros, recebendo um Ponto de Leitura em seu estabelecimento comercial ou comunidade, arrecadando livros para que possamos disponibilizá-los em nossos pontos de leitura ou apoiando financeiramente essa corrente literária. Escolha o jeito de participar com o qual você mais se identifica.

4. Quais locais e iniciativas literárias podem receber livros da Freguesia do Livro?
Iniciativas independentes e informais e bibliotecas de escolas. Ou seja, locais que possam receber os livros e disponibilizá-los ao público que os frequenta. Nossos pontos de leitura podem ser colocados em lugares variados como creches, restaurantes, cabeleireiros, empresas, clínicas, farmácias, cafés, salões de beleza, terminais de ônibus, igrejas, etc. Bibliotecas livres trazem o conceito do empréstimo sem formalidades: o livro vai, se voltar, voltou. O importante é que depois de lido, ele continue circulando. O objetivo é levar o livro para perto do leitor, criando a oportunidade e despertando o interesse, sem burocracia.

5. Como iniciar um Ponto de Leitura?
Basta querer. Comece preenchendo o cadastro. Ter um Ponto de Leitura não dá trabalho, não há custo, apenas benefício. Levamos os livros e eles estão livres para serem lidos pelos leitores que por eles se interessarem. Sem tempo de devolução, sem cobrança, sem multa. Se os livros acabam, levamos mais. Mas a nossa intenção é que os pontos se tornem auto-sustentáveis: seus usuários levam os livros, os devolvem, trazem outros para colaborar.

6. Como você pode doar livros?
Analise seu acervo e escolha os livros que imagina que serão bem aproveitados por outras pessoas. Entre em contato através do contato@freguesiadolivro.com.br ou nossa página no Facebook. Definiremos os Pontos de Coleta onde você pode entregar sua doação.

7. Que tipo de livros recebemos?
Critérios da Freguesia do Livro para doação/recepção de livros: enfatizamos a preferência por livros que incentivem a leitura. Analise seu acervo e escolha os livros que imagina que serão bem aproveitados por outras pessoas. Assim sendo, pedimos a quem nos doa, que observe os critérios abaixo.

Livros que aceitamos:
– livros de literatura em bom estado: romance, suspense, policial, biografia, etc.
– livros de poesias
– livros infantis
– livros infanto-juvenis
– livros de literatura em outros idiomas
– revistas de decoração, educação, jardinagem, culinária, viagem, automóveis, artesanato, ciência, história e filosofia
– revistas em quadrinhos
– livros de autoajuda
– livros técnicos atuais, que ainda possam ser úteis a estudantes

Livros que não aceitamos:
– livros em mal estado de conservação, muito antigos, rasurados, mofados.
– enciclopédias
– coleções
– revistas periódicas semanais
– apostilas
– livros didáticos
– religiosos
– livros técnicos antigos e/ou desatualizados
O critério é: livros em bom estado, que possam ser bem aproveitados por outras pessoas, com conteúdo que vale a pena.

8. Como você pode receber livros para sua biblioteca comunitária ou social? Ou para a biblioteca/ ponto de leitura que pretende iniciar?
Se você pretende iniciar um Ponto de Leitura ou precisa de livros para uma biblioteca já existente, preencha o cadastro em nosso site.

 

Read Full Post »