Feeds:
Posts
Comentários

Archive for novembro \24\UTC 2012

Este post foi escrito pela Lu Ramos, do blog Minha Casa, Meu Mundo. Encontramos, gostamos e ela nos autorizou a publicá-lo aqui. Veja o post na íntegra aqui.

Eu sou uma leitora voraz!
Acredito piamente que a literatura cura todos os males da alma e nos fornece todas as respostas.
Mas, como qualquer mãe, todos os dias me pergunto como transmitir este amor pelos livros às minhas filhas.
Não sou especialista, mas existem algumas técnicas que me parecem infalíveis e simples, cujos frutos acompanharão seus filhos por toda vida.
1. O livro como prazer:
Desde muito pequena, a criança deve entender a leitura como uma atividade imensamente prazerosa, jamais como uma obrigação. Para tanto, é preciso que ela não seja obrigada a ler, mas estimulada a gostar de ler.
É preciso que ela veja o livro como uma porta para a fantasia, para o mundo da imaginação. E, em um segundo momento, como um veículo que satisfaz sua curiosidade natural.
O leitor apaixonado é um ser curioso em sua essência.
Estimule a curiosidade de seus filhos.
Sua filha gosta de algum desenho ou filme baseado em clássicos da literatura? Ofereça-lhe o livro e outros que tratem de fábulas, de princesas, príncipes e dragões. Seu filho gosta do Nemo? Mostre-lhe livros sobre o fundo do mar, peixes, tubarões etc… abra os horizontes do conhecimento e da aprendizagem.
Tenha em mente que o conhecimento é sempre divertido!
Existem livros de história e ciências para crianças que são deliciosos mesmo para os adultos! Ricamente ilustrados, com textos curtos e instrutivos. Livros deste gênero servem a aguçar a curiosidade e fazer com que a criança queira sempre conhecer mais a respeito do assunto.
E mais, faça com que seus filhos amem e respeitem o objeto livro.
2. Sirva de exemplo:
O exemplo dos pais é fundamental. Se estes nunca são vistos lendo, a criança vai compreender rapidamente que eles não gostam de ler e todo o discurso em prol da leitura será vazio e ineficaz.
Além de ler para os seus filhos ou em companhia destes, é importante que eles vejam você lendo por prazer.
Eu leio todos os dias à noite e nunca saio de casa sem um livro na bolsa (mesmo quando vou para o trabalho) e minha filha mais velha já assimilou a idéia de que o livro é o companheiro ideal em qualquer momento: fila do ônibus, espera no médico, um lanche solitário.
3. Ofereça livros:
É importante que a criança tenha seus próprios livros expostos em uma pequena biblioteca de seu quarto.
Ofereça livros como presentes de aniversário e Natal.
Acostume-se a visitar livrarias e feiras de livros. Deixe a criança manipular os livros ofertados. Acredite: eles adoram passar horas vendo as figuras coloridas!!
Mas o preço dos livros ainda é proibitivo. Então, ensine o caminho da biblioteca mais próxima, faça a inscrição de seu filho e lhe ensine a respeitar o livro como depositário de todo o conhecimento, devendo ser partilhado com todas as pessoas.
As bibliotecas são espaços deliciosos para passar uma manhã de sábado. As salas de livros infantis normalmente oferecem atividades paralelas que estimulam a leitura: teatro, contadores de história, etc… procure a biblioteca de sua cidade e conheça a programação.
Mostre respeito e amor pelos livros. Todos os grandes leitores que conheço amam não apenas o conteúdo, mas também o objeto livro, sua encadernação, detalhes de edição.
Estimule este amor.
4. Escolha livros que agradem ao seu filho:
Vá com seu filho à biblioteca de sua cidade ou livraria, deixe-o manusear os livros. Observe. Existem crianças que gostam de histórias de fadas, outras de piratas, outras de detetives.
Não se preocupe, neste momento inicial, com a qualidade do que seu filho lê, mas sim em despertar o interesse pela leitura, de forma que esta atividade lhe seja, para o resto da vida, um prazer.
Quanto mais ilustrado o livro infantil, mais ele atrairá a curiosidade e atenção dos pequenos, fazendo com que tenham real interesse na história que lhes é contada.
Lembrando também que o livro infantil, neste primeiro momento, deve privilegiar os diálogos, uma vez que longas narrativas cansam os pequenos.
Existem crianças que gostam realmente de adaptações dos grandes clássicos (existem várias e excelentes). Mas existem outras que apreciam uma literatura mais leve. Não tenha preconceito! O importante é que a criança adquira o hábito da leitura!!!
Em um segundo momento, quando o hábito já estiver cimentado, é hora de orientar as escolhas de seu filho, indicando-lhe literatura de qualidade.
A adolescência é um período de efervescência em que não sobra muito tempo para ler. De qualquer forma, se o amor aos livros frutificar, cedo ou tarde, ela voltará a ler.

5. A Escola:
Evidentemente a escola é essencial para que seu filho goste de ler (e de conseqüência, de estudar), por isso, antes de matricular seu pequeno pergunte como esta estimulação é feita.
Se a escola limita-se a obrigar a criança a ler tantos livros ao ano (normalmente um por bimestre) ou simplesmente não tem qualquer projeto pedagógico a respeito, fuja!!! E rápido.
6. Leia para seu filho:
Sempre!!!
Ao menos uma vez ao dia.
Antes de bem alfabetizada, é através da sua leitura que a criança poderá conhecer o conteúdo de um livro e aprenderá a sentir prazer ao ler.

E você, como estimula a leitura?

Lu Ramos

www.minhacasameumundo.blogspot.com

Read Full Post »

A proposta é simples: levar livros para oferecer gratuitamente ao público que frequenta a feira. São pessoas que podem comprar livros, você pode estar pensando. Mas são principalmente pessoas que, se param diante de nossas caixas e se interessam em levar livros para casa, devem gostar de ler. Se gostam de ler, têm livros em casa. Se têm livros em casa, podem doar alguns para a Freguesia. Entendeu a ideia? E foi muito bom ver como todos apóiam a iniciativa e repensam seus acervos parados em casa…

Fotos de um dia lindo, feitas pelo fotógrafo Munir Bucair Filho, que passou o dia lá conosco, sob chuva e sol escaldante.

Fotos Controversos Fauxtografos

Esse post participa do 5o BookCrossing Blogueiro, promovido pela Luma do blog Luz de Luma. Nesse post você pode conhecer essa iniciativa que convida a todos a libertarem seus livros esquecidos e presos em estantes. O que a Freguesia fez na feira do Alto da Gloria – Curitiba, foi um grande BookCrossing!

Você também pode participar desse movimento: mande livros para a Freguesia do Livro ou entre na página do BookCrossing no Facebook, escolha um livro e liberte-o em algum lugar onde possa ser encontrado e apreciado por outro leitor.

Read Full Post »

Às vezes parecemos meio quietos, mas pode contar que livros continuam chegando e pontos de leitura continuam sendo montados pela Freguesia do Livro. Mostramos aqui nossas mais novas ações:

Depois de longa aventura, Ivonete recebeu livros para sua Associação de Moradores Jardim São Vicente, em Ponta Grossa/PR. Demorou, mas pelas fotos vimos que ficaram bem contentes. Mais livros estão partindo de Curitiba para lá essa semana.

De Ponta Grossa também veio importante ajuda Gráfica INPAG: doação de adesivos para colar nos livros. Eles são fundamentais para a divulgação de nossa corrente literária.

Para Abelardo Luz/SC, os astros conspiraram a favor da Freguesia e do acesso à leitura: numa conversa em um café, descobrimos que o pai do rapaz que nos servia um delicioso espresso no Cafezau, estava indo para… Abelardo Luz! Uma carona literária e Bruna recebeu seus livros para o  Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Veja as fotos e atente ao papel de parede feito com jornal. Não é perfeito? Reciclagem e leitura nas paredes!

Mais uma escola de yoga oferece uma caixa de livros para seus alunos. Dessa vez é o Ashram Montserrat.

Hostel BackPackers Curitiba. Essa foi por acaso. Passamos na frente, gostamos do jeito do hostel e ligamos para lá: “Que tal uma caixa de livros para seus hóspedes?”. Toparam na hora e os viajantes agora tem mais uma alegria naquele belo hotel.

Celin + Pousada Ribeirão das Pedras: reposição de livros, pois o sucesso foi retumbante.

Terra Verdi – Café Orgânico, no Shopping Itália, aqui em Curitiba. Claudio, o proprietário, ficou bem animado com a possibilidade de oferecer leitura e troca de livros para seus clientes. Já levamos até uma reposição de livros. O TerraVerdi tem um blog, visite para ver como vai indo a Freguesia do Livro por lá: www.organicosdobrasil.blogspot.com

Mercearia Café Slow Food, no Centro Cívico em Curitiba. Descobriu a Freguesia na internet, solicitou os livros e com eles começou um Canto da Leitura no restaurante. A proposta é um espaço agradável, uma sala para ler com um sofá confortável, trocas de livros, jogos para as crianças e conversas informais sobre livros lidos. Muito bacana.

Senai – CIC. Voltamos lá para mais uma distribuição gratuita de livros para jovens. Um público ávido para receber livros de diferentes estilos. Vale a pena ver a carinha da moçada encontrando livros que desejariam ter. Junto com a doação vai sempre a ideia: depois de ler, passe adiante. E veja lá na sua casa se não tem livros para doar também. Plantando sementes de boa leitura e desapego na cabeça de jovens.

O pedido de livros da Daniela tem praticamente a idade da Freguesia do Livro. Um dos nossos primeiros pedidos para fora de Curitiba, parecia de simples solução: ela tinha um amigo, o Juninho, que frequentemente faz o trajeto Curitiba-Cananéia/SP. Demorou, mas chegou. Juninho fez uma carona literária e os livros chegaram, levando literatura e lazer para o Sitio Bela Vista, um refúgio na Mata Atlântica.

Precisávamos mandar alguns livros para Brasília. Arriscamos ver se alguém podia levar uns livrinhos lá. E uma carona solidária se apresentou. Uma amiga, Patrícia, que se dispôs a mandar no malote diário de sua empresa de engenharia com obra por lá, um ou dois livros, até completar o pequeno acervo que queríamos enviar. Forças que se unem e chegam a um resultado tão bacana!

O Instituto Positivo nos chamou para fazer uma parceria com a equipe da Positivo Informática na sua Gincana Voluntária. A gincana se constitui de duas etapas, uma que promove o acesso à leitura e outra, a reciclagem. Participamos sugerindo algumas ideias e recebendo uma excelente doação de livros dos funcionários envolvidos na campanha e do Colégio Estadual Yvone Pimentel, estabelecimento de ensino escolhido pelo grupo para ter sua biblioteca reavivada. Achamos a ideia ótima: um movimento interno em empresas para a realização de ações sociais, com um toque de competição.

A Livrarias Curitiba também nos fez uma super doação. Livros que, juntamente com os da Positivo Informática e de cada um de vocês que nos doou poucos ou tantos livros, estão fazendo parte desse movimento lítero-libertário. Também aos doadores anônimos, que entregam livros em nossos pontos de coleta. Todos fazendo livros circularem, é disso que a Freguesia gosta.

Obrigado por fazerem parte dessa corrente!

Read Full Post »

A Freguesia do Livro nasceu de uma ideia inicialmente implantada na Sociedade Crescer, projeto de atendimento no contra-turno para crianças da Vila Zumbi, região metropolitana de Curitiba. Você pode saber mais dessa história aqui. Lá ficamos desde fevereiro/2011 e temos certeza de ter plantado algumas sementes e colhido alguns frutos. Muitas crianças se descobriram leitoras e todas elas tiveram a oportunidade de serem apresentadas ao mundo da literatura com o prazer e cuidado que ele merece. Essa biblioteca alcançou sua autonomia e agora, um ciclo se fecha e deixamos a Sociedade Crescer, esperando que a criançada aproveite os livros que constituem sua biblioteca.

Para celebrar o tempo em que estivemos lá, levamos o Engelbert Schlögel, que acredita firmemente no poder do voluntariado e viaja o mundo afora exercendo essa possibilidade que todos temos de fazer diferença na vida das pessoas. A última viagem foi para o Nepal, onde ele trabalhou por alguns meses em um berçário de elefantes, cuidando da Lumna, uma elefanta muito simpática. A aventura virou livro e foi dessa experiência que ele falou para as crianças da Vila Zumbi, fascinadas pela história, pelo elefante de pelúcia que acompanha Engelbert e do boneco articulado que o representa.

O livro. Informações aqui.

Engelbert foi até lá voluntariamente, deixou a criançada feliz e fechou com chave de ouro a nossa passagem por lá. Ao Engelbert, agradecemos por isso.

A Freguesia organiza ou ajuda a criar bibliotecas. Se tiver interesse, entre em contato.

* Fotos desse post foram feitas por Paolo Trippa, fotógrafo italiano de passagem pelo Brasil.

Read Full Post »

Juliette ajuda a Freguesia desde o comecinho. Nos achou por acaso, graças à internet e aqui encontrou um lugar para dedicar seu esforço de fazer algo pelo Brasil, mesmo lá de longe, da terra dos tamancos e tulipas.

Como você pode ver nesse post, ela traduz livros infantis holandeses e os torna legíveis para pequenos brasileiros. Livros que irão para bibliotecas na Serra do Mar, para o Hospital Erasto Gaertner e outros locais que precisarem deles.

Dessa vez, Juliette contou com a ajuda de amigas do Entre Mulheres e Letras, um clube de leitura formado por expatriadas na Holanda. O grupo se reúne regularmente e troca livros e ideias. As amigas Clarissa Mattos, Norma Figueiredo, Simone Strijk, Fernanda Castro, Desiree Vermeer e Malka Campos se uniram e pagaram o envio (outra excelente ideia para quando precisamos mandar livros para longe… Outro tipo de carona literária).

A Freguesia do Livro agradece a todas as envolvidas, Juliette e suas amigas! E as crianças que terão a oportunidade de ler esses livros, também!

No blog da Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa você pode ler mais sobre esse assunto.

Read Full Post »