Feeds:
Posts
Comentários

Archive for agosto \29\UTC 2012

Energia. É o que a gente percebe na professora Nadzieja. Dá aulas em casa, prepara a moçada para concursos, cheia de estratégias infalíveis que anos e anos de magistério lhe ensinaram. Faz oficinas literárias na Fundação Cultural de Curitiba, tem textos publicados, outros sendo escritos e está aprendendo a restaurar livros.

E quer começar uma biblioteca na comunidade onde mora, no bairro Uberaba – Curitiba. Está arrecadando livros, cadastrando-os e se preparando para logo ocupar o espaço que a Associação Comunitária da Vila São Paulo vai ceder  com estantes e livros para a população da vizinhança que tinha aprendido a gostar de ler nos 15 anos de existência da Biblioteca Casa Kozác, fechada por motivos diversos.

A Freguesia levou livros. E pretende continuar levando, para que esse sonho de Nadzieja se torne realidade. Sua energia é contagiante e nós fomos irremediavelmente contaminados.

Anúncios

Read Full Post »

Convocação para Transporte Solidário de livros da Freguesia do Livro

Já contamos aqui no blog da Freguesia que precisamos de voluntários para conseguirmos levar caixas de livros para cidades distantes de Curitiba e também de outros estados. Precisamos muito que pessoas solidárias à nossa causa se voluntariem para levá-las até as cidades que necessitam de doações. Com a ajuda de voluntários dispostos a levar pequenas caixas de livros em suas bagagens nós fazemos com que o ciclo de leitura nunca se acabe. Através do transporte solidário já conseguimos chegar em…

Goiânia/GO: Biblioteca Ler é Bom

Pato Branco/PR: Oficina de Costura da Amélia

Ponta Grossa/PR: Bando da Leitura

Guaratuba/PR: Biblioteca Amigo Livro

Morretes/PR – Estrada Rural do Anhaia: Biblioteca Sítio Vanessa, Escola Rural de Anhaia, Escola Rural de Rodeio e também para os alunos do curso de agricultura doméstica.

Chopinzinho/PR:  para a Tatiana, que começou uma Freguesia do Livro por lá, a Freguesia do Livro de Chopinzinho e Redondezas

Rio de Janeiro/RJ: Hospital Federal do Andaraí no Rio de Janeiro

Abelardo Luz/SC: Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos

Belo Horizonte/MG: Biblioteca Mundo do Saber

Congonhas/MG: Clube Astra, Associação de Trabalhadores das Empresas Mineradoras de Congonhas.

Foz do Iguaçu/PR: salas de hemodiálise da Nefroclínica de Foz do Iguaçu.

Mas ainda precisamos levar livros para outros locais do Brasil e para a Freguesia continuar a crescer, necessitamos de viajantes, pessoas que estejam saindo de Curitiba para outros estados e que possam levar uma pequena caixa de livros. No momento, precisamos entregar caixas em Osasco. Tão perto, tão longe. Também precisamos de alguém que esteja com viagem marcada para a cidade de São Paulo e Catalão/GO. Alguém indo de Curitiba para esses destinos?

Quer ajudar a Freguesia do Livro a levar mais leitura e conhecimento para outros lugares que estão iniciando e incrementando o acervo de suas bibliotecas comunitárias? Conheça o projeto “Transporte uma Freguesia” e participe. Envie um email para fregues@freguesiadolivro.com.br

Read Full Post »

A Freguesia do Livro mexe livros e mexe com livros.

Acabamos de finalizar nossa segunda intervenção em bibliotecas existentes em centros de convivência aqui de Curitiba. No local, o Projeto Passos da Criança, havia livros que precisavam de uma seleção, uma faxina e um organização. Ganharam tudo isso e a biblioteca ficou linda, pronta para o proveito da garotada.

E sugerimos que se você tiver um tempinho, procure algum local perto de você onde possa organizar uma biblioteca já existente. É simples e um espaço assim revigorado, incentiva as crianças a se interessarem pela leitura. O que fizemos:

a) eliminamos tudo que estava estragado, inadequado, inútil ou desatualizado.

b) limpamos as capas dos livros

c) organizamos por idades e texto: dos mais simples aos mais complexos. Colocamos fitas adesivas coloridas para definir essas classes.

d) sugerimos ao projeto estantes que deixassem os livros mais ao alcance das crianças e os colocamos de acordo com idade e altura.

e) se sobrarem livros que não combinam com o local, encaminhe-os a outras bibliotecas. Se perceber que faltam livros para que a biblioteca fique mais completa, faça uma arrecadação com amigos e conhecidos. E depois, sinta-se muito bem!

Boas leituras, crianças!

A biblioteca antes.

A biblioteca depois.

Read Full Post »

a) Olhe as estantes dos seus filhos. Pergunte a eles o que podem doar para outras crianças.
b) Faça uma arrecadação com a família, no prédio, na academia, com os amigos, no restaurante por kilo que frequenta. Deixa lá uma caixa escrito: “Doe livros infantis”!
c) Faça pedágios literários. Festa, aniversário, picnic? Todo mundo traz um livrinho para doar.
d) Se tiver outra ideia, compartilha com a gente!

*Ilustração de Giorgiana Chitac

Read Full Post »

Feira do Livro Senai CIC

Ontem a Freguesia do Livro participou da Feira do Livro Senai CIC, evento voltado para os alunos do colégio do Sesi de ensino médio, e para os alunos dos cursos técnicos do Senai. A proposta era apresentar a Freguesia para os alunos, doar livros, incentivá-los à leitura, e também a troca de livros e doação. Conversamos com eles sobre bibliotecas e livros livres. Essa foi a primeira vez que a Freguesia do Livro participou de uma feira literária e o resultado foi muito bacana. O quiosque da Freguesia ficou repentinamente movimentado assim que os alunos foram liberados para o intervalo. Os marcadores de páginas confeccionados pelas colaboradoras da Freguesia e que integram o projeto Recicla Cultura fizeram sucesso, e foram vendidos por R$1,00 cada, valor que será revertido para novos projetos da Freguesia.

Banner da Freguesia do Livro

Jô Bibas, Juliano Rocha e Ângela Duarte preparando o quiosque da Freguesia

Alunos do Sesi e do Senai escolhendo livros da Freguesia do Livro

Os alunos ficaram bastante entusiasmados com a possibilidade de escolher um livro e levar para casa sem precisar pagar nada, e aproveitaram para conversar sobre literatura e suas leituras preferidas. O mais bacana foi perceber que as pessoas adoram o empréstimo livre e a livre circulação de livros sem precisar de carteirinha ou apresentação de documentos, sem burocracia.  Eles pediram para que a gente volte ao Senai, mas pediram para avisarmos antes, para que eles também possam levar livros para trocar e doar. Não é o máximo?!

A caixa de livros da Freguesia prontinha para os alunos do Sesi e do Senai

Ecocidadão Acampa CIC

Visitamos dois barracões de reciclagem com a Freguesia do Livro localizados também na Cidade Industrial de Curitiba, para levar os livros arrecadados e doá-los para os funcionários e catadores de material reciclável que trabalham nos barracões. O primeiro barracão de materiais reciclados visitado foi o Acampa – Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Parceiros do Meio Ambiente.

Acampa

Silvana, catadora de materiais recicláveis

Silvana, catadora de material reciclável do Ecocidadão Acampa, localizado na Cidade Industrial de Curitiba, recebendo os livros arrecadados através de doação e levados até o barracão pela Freguesia do Livro. Ela disse que gosta muito de ler gibis, mas que não estava lendo muito ultimamente por causa da miopia. Também gosta de livros de romance. Ela escolheu um dicionário de português para levar para sua filha fazer os trabalhos da escola. Ela também se encantou com as revistas de receitas.

Silvana e Fabiana

Silvana e Fabiana, catadoras de materiais recicláveis do projeto Ecocidadão Acampa, na Cidade Industrial de Curitiba. As amigas gostam de ler livros de romance e ficaram encantadas com as revistas de receitas. A Fabiana também não anda lendo muito por problemas oftalmológicos e por não possuir óculos adequados. A Fabiana tem 23 anos e me contou que gosta de ler livros de romance para se inspirar e depois escrever cartas. Ela disse que gosta bastante de escrever cartas românticas.

Equipe Acampa: Silvana, Fabiana, Seu Moacir e Augustinho

Ângela Duarte conversando sobre livros e literatura com a Silvana e o Augustinho

Quem quiser colaborar com o Ecocidadão Acampa, doando livros, ou para aqueles que quiserem levar diretamente os seus materiais recicláveis para o barracão, é só entrar em contato através do telefone:  (41) 3288-4539, ou diretamente no endereço: R. Dr. Ivan Ferreira do Amaral, 150, na Cidade Industrial de Curitiba. Ao separar os materiais recicláveis do lixo orgânico e encaminhá-los para os barracões de reciclagem, você está colaborando com o trabalho e sustento desse pessoal.

Ecocidadão Novo Horizonte CIC 

O barracão de reciclagem Ecocidadão Novo Horizonte recebeu livros arrecadados e doados pela Freguesia do Livro.

Iracema e as meninas que trabalham no barracão

O segundo andar do prédio onde fica o Ecocidadão Novo Horizonte tem um amplo espaço onde a Iracema quer montar um cantinho da leitura, com caixas e estantes de madeira e plástico, e materiais recicláveis que são jogados fora, e chegam até lá através dos caminhões do “Lixo Que Não é Lixo”, coleta seletiva da cidade de Curitiba. Quem tiver livros para doar, ou quiser colaborar com materiais e móveis para a biblioteca do Ecocidadão Novo Horizonte, pode entrar em contato com a Freguesia do Livro e com a Iracema pelo telefone: (41) 3285-9637, ou no endereço: Rua Celeste Senegaglia – Cidade Industrial, Curitiba.

Fotos: Dani Carneiro e Juliano Rocha

Post originalmente publicado em Terra Expressa

Read Full Post »

Já comentamos aqui que Juliette, brasileira morando na Holanda, descobriu a Freguesia do Livro, manda para nós livros lindos que ela traduz e adesiva com textos em português. Além disso, tem sempre boas ideias e é nossa sócia honorária!

Hoje chegou mais uma caixa da Holanda. Os livrinhos infantis vieram, além de outros ítens que comprovam o quanto essa voluntária está empenhada em transformar o Brasil, mesmo lá de longe: uma sacola cheia de bichinhos de pelúcia e roupas de bebês.

E livros adultos em português! Essa precisa ser explicada, pois afinal ela mora em um lugar onde livros em português são difíceis de encontrar. Livros sim, mas brasileiras que gostam de ler, ela encontrou. E assim formou um grupo de leitura, brasileiras que compartilham entre si os livros que compram quando vêm ao Brasil. Os livros são lidos, trocados, comentados e ainda servem como bom motivo para que todas, vindas de cidades próximas ou nem tanto na Holanda, se encontrem, lanchem e coloquem a conversa em dia.

Os livros, depois de lidos por todas as amigas, agora voltam ao Brasil. Livros viajados que, chegando à Freguesia do Livro, vão continuar seu movimento.

Mais uma vez, obrigada, Juliette!
Juliette tem um blog. Visite: www.tempotempotempo.blogspot.com.br

Read Full Post »

Veja na íntegra a reportagem sobre a Freguesia do Livro na Gazeta do Povo:

Livros à caça de novos leitores

Por Ellen Miecoanski

Daniel Castellano/ Gazeta do Povo / O catador Francisco Joel de Almeida é um dos entusiastas do programa Freguesia do Livro

O catador Francisco Joel de Almeida é um dos entusiastas do programa Freguesia do Livro

CULTURA

Livros à caça de novos leitores

Bibliotecas comunitárias fazem obras literárias transitarem por diversas mãos e cativam usuários. Entre eles, catadores de Curitiba

Era apenas uma ferramenta de trabalho até que um dia os livros viraram uma nova ocupação. Sem querer ganhar dinheiro com isso, Josiane Mayr Bibas, Maria Luiza Mayr e Ângela Marques Duarte têm um objetivo em comum: tirar os livros parados nas estantes alheias e fazê-los circular por muitas mãos. Para isso, elas transformam caixas de frutas e livros usados em bibliotecas comunitárias, em que qualquer pessoa pode se converter em leitor.

O projeto Freguesia do Livro começou quando as apaixonadas por leitura Josiane e Ângela decidiram abandonar os consultórios de fonoaudiologia para viver outras experiências. “Como usávamos os livros nas consultas, tínhamos bastante. Resolvemos montar uma biblioteca comunitária na Vila Zumbi, em Colombo, em fevereiro do ano passado”, conta Josiane. Para manter esse espaço, as duas passaram a pedir doações para colegas e amigos. “Vieram muitos livros e resolvemos montar mais bibliotecas.”

Marcelo Andrade/ Gazeta do Povo

Freguesia

Além de levar publicações para os catadores dos EcoCidadãos, o projeto Freguesia do Livro possui outros programas. Confira quais são:

Recicla Cultura

Além das caixas de frutas, as artesãs confeccionam bolsas retornáveis para carregar livros e compras, aproveitando banners usados; lápis de pinhão feitos a partir de restos de giz de cera; e blocos e cadernetas reaproveitando cadernos usados.

Transporte uma Freguesia

Apesar de ser voltado para Curitiba e região, com a divulgação do projeto Freguesia do Livro na internet, pessoas de outros estados solicitam as caixas ou oferecem doações. Para fazer o transporte desse material, o projeto conta com a mobilização de viajantes voluntários.

Freguesia do Livro nas Comunidades Rurais

Localiza pessoas interessadas em iniciar bibliotecas comunitárias em áreas rurais. Para isso, disponibiliza uma caixa com livros e ajuda na montagem do espaço.

Serviço

Se você deseja colaborar com algum desses projetos ou montar um ponto de leitura, entre em contato pelo e-mailfregues@freguesiadolivro.com.br ou acesse o sitehttps://freguesiadolivro.wordpress.com/.

Dê a sua opinião

Como você avalia essas iniciativas para estimular a leitura? Conhece outra ideia semelhante? Como ela funciona?

Escreva para leitor@gazetadopovo.com.br As cartas selecionadas serão publicadas na Coluna do Leitor.

Em março deste ano, a administradora de empresas Maria Luiza se juntou ao grupo e as três, que também são artesãs, passaram a personalizar caixas de frutas com a marca do projeto. Dentro são colocados de 30 a 40 livros que ficam disponíveis em estabelecimentos comerciais e empresas. “Trabalhamos com o conceito de livro livre para estimular a leitura. A pessoa encontra [o livro] numa caixa, pega, lê e leva para outra pessoa ou lugar. Não existe carteirinha e nem data de devolução”, explica Josiane.

EcoCidadão freguês

Com diversas linhas de atuação, o Freguesia também chega aos EcoCidadãos, programa da prefeitura de Curitiba que ajuda na organização de materiais recicláveis coletados na cidade. Hoje são sete barracões atendidos, mas outros já estão em processo de implantação. “Fazemos um contato anterior, explicamos a ideia e levamos a caixa. A gente explica para os catadores como é que funciona e eles acham ótimo”, fala Josiane.

A aproximação dos dois projetos surgiu depois que um casal de voluntários do Freguesia foi a um dos galpões do programa municipal para levar publicações que estavam em péssimas condições e não poderiam mais ser aproveitadas. Naquele dia, uma das catadoras se encantou por um dos volumes e perguntou se não tinha outro livro da Clarice Lispector. Pronto, foi a inspiração para o Freguesia construir mais um capítulo em parceria com a Aliança Empreendedora, entidade responsável pelos EcoCidadãos.

Um dos entusiastas do projeto é Francisco Joel Teixeira de Almeida, 53 anos, um dos associados na Catamare, EcoCidadão localizado no Rebouças. “Acho essa ideia maravilhosa, linda. O que a sociedade precisa fazer pelas pessoas com menos condições financeiras é dar esse outro alimento, que é a leitura.” Na Catamare, a caixa do Freguesia do Livro está há pouco mais de um mês, mas já desperta bastante a curiosidade dos catadores. “Eu acho fantástico eles levarem livros para a gente. Acho que isso convence as pessoas a lerem mais. Duas colegas já pegaram livros e levaram embora para ler, fiquei tão feliz com isso”, conta Almeida.

Read Full Post »